10 dicas para jogar Pokémon GO com segurança

*Leonardo Carissimi

A febre mundial do Pokémon GO chegou no Brasil no dia 3 de agosto, atingindo assim a meta da Nintendo de colocá-lo à disposição dos visitantes que estão chegando ao País para as Olimpíadas. No mesmo dia já foi possível observar jogadores nas ruas – trata-se realmente de um fenômeno. A Nintendo (Niantic, na verdade) não inventou a Realidade Aumentada, mas com certeza foi a primeira empresa a saber usá-la. Novos modelos de negócio já estão surgindo na esteira da novidade, que toca também no modelo de ‘gamificação’. É uma revolução que vai muito além do jogo em si.

Infelizmente, tudo tem um outro lado. Tem-se observado alguns incidentes de segurança com usuários do jogo no mundo todo – afinal o seu sucesso chama a atenção também de criminosos. Portanto, é importante estar atento a algumas recomendações básicas de segurança, seja no mundo virtual ou no físico.

  1. Atenção por onde você anda. Parece bastante óbvio, mas saiba que apenas no primeiro dia de uso do jogo no Brasil, ocorreram pelo menos dois assaltos com roubo dos smartphones (reportados casos no Centro de Vila Velha/ ES e na Av. Paulista/ SP). Foi reportado também um atropelamento em Curitiba/ PR. No resto do mundo não tem sido muito diferente, inclusive com criminosos se posicionando estrategicamente onde estão os monstrinhos mais procurados, esperando as vítimas chegarem. Portanto, muita calma na hora de persegui-los. E nunca dirija atrás deles.
  2. Fique atento para aplicativos falsos. Versões falsas do jogo estão disponíveis para download, podendo causar contaminação por malware aos distraídos que a instalam por engano. A mais conhecida versão falsa chamava-se “Pokémon GO Ultimate”, que já foi removida das lojas de aplicativos, mas outras similares podem surgir. Cuidado redobrado para qualquer aplicativo que você instale em seu smartphone.
  3. Não esqueça da sua privacidade. Pokémon GO é um aplicativo que tem acesso ao local onde você está e à sua câmera, mesmo dentro de sua casa. Ele pode ter acesso a sua conta no Google (potencialmente chegando até e-mails, agenda, fotos e documentos armazenados). É recomendável ficar anônimo utilizando uma conta nova e endereço de e-mail diferente do seu, exclusivamente para o jogo. Esteja ciente que usar credenciais de redes sociais para login (em quaisquer aplicativos) pode fornecer suas informações online não apenas a quem está por trás do aplicativo, mas também para criminosos que eventualmente tenham acesso a elas.
  4. Assegure-se que seu smartphone esteja com o sistema operacional mais atualizado. Falhas de segurança são descobertas com frequência, e para corrigi-las os fabricantes publicam atualizações constantes do sistema operacional. Esteja certo de que os criminosos estão sempre atentos ao surgimento de novas falhas e de como se pode explorá-las. Assim, caso você negligencie a atualização do seu sistema e aplicativos, estará aumentando sua exposição na rede.
  5. Revise permissões do aplicativo e assegure-se de conceder o mínimo de permissões necessárias para que ele funcione conforme sua expectativa. Aliás, isso aplica-se a todos os aplicativos instalados no dispositivo.
  6. Utilize os recursos de segurança do seu smartphone – os smartphones atualmente apresentam um amplo conjunto de controles de segurança que são bastante convenientes. Estamos falando de recursos como senha no bloqueio de tela, seja ela numérica, um desenho de padrão de desbloqueio ou mesmo impressão digital. Use e assegure-se de que seja uma senha forte – há melhores práticas para a criação de senhas numéricas fortes e mesmo para desenhos de padrão de desbloqueio mais robustos. Você pode ainda habilitar recursos de localização para ajudar em caso de perda (e recurso de apagar todos os dados, para uma situação de roubo do dispositivo).
  7. Atenção à sua produtividade no trabalho. Afinal, o uso excessivo do jogo pode atrapalhar a sua produtividade no trabalho, seu desempenho e também sua carreira.
  8. Atenção à exposição de dados ou ambientes da empresa onde você trabalha. O assunto é sério. Recentemente a Indonésia  proibiu policiais e militares de usarem o jogo durante o expediente para evitar que instalações de segurança nacional tivessem suas imagens expostas ao aplicativo. Fique atento à política de segurança da sua empresa. Caso a mesma não regule explicitamente o uso do jogo (ainda), use o bom senso para evitar transtornos a você e a sua empresa.
  9. Antecipe-se a eventuais problemas. Se você é um gestor de segurança, publique uma política e uma nota aos usuários da empresa sobre o tema. Cubra ao menos as recomendações básicas (como as acima) e explicite a política da empresa sobre o tema.
  10. Se sua empresa usa Google Apps, seja enfático na proibição de usar as contas de trabalho para acessar quaisquer aplicativos não relacionados ao trabalho (Pokémon GO e outros).

 

Leonardo Carissimi lidera a Prática de Segurança da Unisys na América Latina