Mercado brasileiro de Smartphones tem queda de 13,4% em 2015 após 5 anos em alta

Segundo a IDC Brasil, foram comercializados pouco mais de 47 milhões de aparelhos no ano passado, queda de 13,4% na comparação com 2014. Apesar da retração das vendas, o tíquete médio dos celulares ficou maior e elevou a receita em 1,2%

Após cinco anos de altas consecutivas, o mercado de smartphones encerou 2015 em baixa na comparação com 2014. Segundo o estudo IDC Brazil Mobile Phone Tracker Q4, realizado pela IDC Brasil – líder em inteligência de mercado, serviços de consultoria e conferências com as indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações – foram vendidos pouco mais de 47 milhões de celulares inteligentes entre janeiro e dezembro, queda de 13,4% na comparação com 2014, quando o país chegou à marca de 54.5 milhões de aparelhos vendidos. Ainda de acordo com o levantamento da IDC, os feature phones encerraram o ano em queda de 74%, com 4,2 milhões de unidades comercializadas.

“Foi um ano muito difícil para a economia e até o mercado de smartphones, que apresentava taxas de crescimento positivas nos anos anteriores, acabou impactado, principalmente por conta da alta do dólar. Mesmo com alguns fabricantes nacionais apostando no mercado de celulares, os insumos são importados e, ao longo do ano, foi necessário fazer de três a quatro repasses nos preços dos aparelhos”, conta Leonardo Munin, analista de pesquisa da IDC Brasil.

Embora as vendas tenham sido menores, a receita apresentou um crescimento de 1,2%, na comparação com 2014, ajudada pela alta de 17% no ticket médio, que passou de R$ 750, em 2014, para R$ 880 em 2015. “Os anos de 2013 e 2014 foram marcados pela popularização do smartphones. Em 2015, houve uma mudança no comportamento dos consumidores, que passaram a investir em celulares mais caros. O aumento na receita foi influenciado por este novo comportamento dos usuários que buscam ter uma segunda experiência com o smartphone, optando por uma aparelho mais robusto.”, revela o analista da IDC Brasil.

Munin ainda reforça que o ciclo de vida dos celulares, que era de um ano e meio, passou para cerca de dois anos. “Notamos que o consumidor está ficando mais tempo com um aparelho e preferindo, inclusive, fazer pequenos reparos. Isso acaba refletindo na venda de aparelhos novos”.

4º Trimestre

O 4º trimestre de 2015 apresentou queda de 32% na comparação com 2014. Foram vendidos 11.6 milhões de celulares inteligentes no país. “Não tínhamos um último trimestre tão fraco desde 2013. Historicamente, o primeiro trimestre é o mais fraco nas vendas. Porém, 2015 foi bem atípico e os meses de janeiro a março tiveram a melhor média do ano. Nem as festas de fim de ano e a Black Friday foram capazes de incentivar o consumo na mesma proporção dos últimos anos.”, completa o analista da IDC.

Posição do Brasil na América Latina e no mundo

Em 2014, as vendas de smartphones no Brasil representaram 42% da fatia total na América Latina. Em 2015, houve uma queda de 8%, com o país representando 34% das vendas totais de aparelhos na região.

Mundialmente, a comercialização dos celulares no Brasil representava 4,4% do total no ano de 2014 e, em 2015, passou para 3,4%. Mesmo assim, o Brasil ainda é o quarto maior consumidor em unidades, perdendo apenas para China, Estados Unidos e Índia.

Projeções para 2016

A IDC prevê uma retração de cerca de 13% do mercado de smartphones, com a venda aproximada de 41 milhões de aparelhos em 2016.

Curta a página da IDC Brasil no Facebook: https://www.facebook.com/IDCBrasilLA

Acompanhe a IDC Brasil no Twitter: http://twitter.com/idcbrasil

Conheça mais de nossos líderes de opinião http://www.idclatin.com/leaders/thought_leaders.aspx