Depois de anos seguindo a temática futuristíca, a franquia Call of Duty retorna à Segundo Guera Mundial. O regresso era muito esperado pelo fãs, que comemoraram o lançamento em 3 de novembro.

E a espera valeu a pena. Call of Duty: World War II não é mais do mesmo, o jogo surpreende nos detalhes, no envolvimento dos jogadores nas batalhas e principalmente pela imersão na história.

Call of Duty: WW II é um lançamento da Activison e foi desenvolvido pelo estúdio Sledgehammer. Ele chega nas versões PS4, Xbox One e PC. O jogo é dividido em modo campanha multiplayer e, como não podia faltar, os zumbis dão uma nova cara a Segunda Guerra.

O modo campanha

Já nas primeiras missões do modo campanha o jogador tem a sensação de que está num clássico do cinema, digno de Oscar.  O enredo do jogo é ficção, mas o contexto histórico é verídico. As datas, os eventos e as batalhas realmente aconteceram.

Dividido em capítuos, o jogo começa com o desembarque do soldado norte-americano Ronald “Red” Daniels na Batalha da Normandia, no Dia-D. O fato aconteceu em 1944 e foi a maior operação militar aeronaval da história e marca a libertação de França, que durante quatro anos esteve sob o domínio nazista.

Seguindo uma tendência dos jogos de tiro em primeira pessoa, é preciso eliminar todos os inimigos da tela para avançar na missão. Detalhe para a participação especial do ator Josh Duhamel que interpreta o sargento William Pierson. Duhamel ficou conhecido como o Major William Lennox, ao interpretar o personagem nos filmes da franquia Transformers.

E não vai faltar emoção. Mesmo com o clima tenso no campo de batalha, os solados criam laços de amizade com os membros de seu esquadrão. Isso faz toda a diferença na hora de se colocar em perigo para resgatar um combatente ferido.

E se você está acostumado com os supersoldados das versões futuristas, não se decepcione com Red. Ele é vulnerável, sente frio, fica lento quando é atingido e precisa de kits médicos para se reestabelecer.

A qualidade sonora é um ponto significativo e que ajuda o jogador na imersão histórica. Se você fechar os olhos e se concentrar no barulho dos tanques Sherman americanos e dos Tiger e Panzer alemães passando por sua cabeça, vai com certeza sentir um pouco do temor que os soldados vivenciaram durante a guerra.

Outra novidade fantástica é que cada arma disponível tem um som único. Isso sem falar nas características, que foram reproduzidas fielmente. Entre as opções, estão: fuzis, pistolas, rifles e lança-chamas.

O modo multiplayer

O multiplayer, principal modo de jogo de Call of Duty, é a grande sensação. O jogador tem à sua disposição cinco habilidades e experiência em armas diferentes, o que contribuiu para o desempenho do soldado em cada tipo de batalha.

Há nove modos de confrontos e alguns são velhos conhecidos, como: Baixa Confirmada, Localizar e Destruir, Mata-mata em Equipe e Destruição. A novidade fica por conta do modo Guerra, onde a equipe precisa cumprir ordens pré-determinadas para avançar. Não há limite de tempo ou pontuação, vence o time que cumprir a missão primeiro.

E não pense que você vai ficar de bobeira enquanto aguarda uma partida. Uma sala de espera foi criada onde você usa seu tempo ocioso para comprar itens, personalizar o visual, escolher novas armas, entre outras opções. E a escolha de armas realmente precisa de um bom tempo livre, já que o vasto arsenal pode ser um problema para os jogadores mais indecisos. Armas com grande poder de destruição também estão disponíveis, como um lança-chamas capaz de eliminar vários inimigos de uma só vez.

Para melhorar sua experiência, conseguir novos itens e skins épicas existe a opção de realizar ordens diárias e ser recompensado por isso. São os generais de base que lhe passam as instruções. As missões são simples, como obter 100 baixas em qualquer modo ou eliminar 15 rivais com um fuzil.

O modo zumbi 

A preocupação histórica é deixada de lado no modo zumbi. Agora, o que vale é a criatividade e a diversão. Você até pode jogar sozinho, mas encarar os mortos-vivos vai ficar bem mais difícil. O ideal é enfrentá-los em equipes com quatro pessoas, onde a experiência de cada soldado vai contribuir para o sucesso do grupo.

A batalha se passa na cidade Mittelburg. Um prólogo, muito bem apresentado, vai lhe deixar por dentro de tudo que vai acontecer. O principal objetivo no modo zumbi é acumular trancos, que é a moeda utilizada para desbloquear armas. Você também pode adquirir equipamentos e habilidades especiais.

O modo zumbi é quase como um novo jogo dentro do clássico Call of Duty. Com um mapa bem grande e inúmeras possibilidades de batalhas, você vai se dedicar um bom tempo para explorar e eliminar os zumbis nazistas. Eles são o resultado de um experimento mal sucedido feito pelo exército alemão e estão por toda a parte.

Modo Descanso e Relaxamento

Os mais desatentos podem passar despercebido por esta grande novidade. O modo Descanso e Relaxamento está escondido próximo ao quartel-general e serve como espaço de convivência no modo multiplayer. Para encontrá-lo siga em direção da praia e ache uma pequena barraca, que está ao lado do paiol.

Para acessar o games ocultos, intereja com o tabuleiro de xadrez e finalmente entre nos jogos clássicos do Atari, como Enduro, River Raid, Grand Prix e Pitfall 2, entre muitos outros. Como no passado, os games são em preto e branco, com gráficos simples e poucos botões de comando.

Conclusão

Para os fãs da franquia que já estavam cansados da temática futirística, Call of Duty: World War II chega como um oásis no deserto. Ele traz uma experiência única na vivência da Segunda Guerra Mundial. Os modos conseguem atender as exigência de diferentes perfis de jogadores. Com certeza, o retorno às origens foi uma grande sacada da Activison que conseguiu surpreender até os mais exigentes.

 

PONTUAÇÃO DO REVIEW
Diversão
Jogabilidade
Gráficos
História
Multiplayer
COMPARTILHE
Artigo anteriorJogue Overwatch de graça
Próximo artigoVeteranos falam sobre Segunda Guerra em novos vídeos de COD: WWII